Página Inicial

Colheita da Soja em Roraima é iniciada e produtores já pensam no futuro

Publicado em 3 de setembro de 2018

A Abertura da Colheita de Soja da Safra 2018 no Cerrado de Roraima foi iniciada com uma grande festa na Fazenda Paraíso, no KM 76 da BR-401, neste sábado, dia 1º de setembro. O evento reuniu centenas de pessoas, além de produtores rurais, investidores, acadêmicos e público em geral, que puderam visitar os estandes das mais de 70 empresas patrocinadoras.

O presidente da Comissão Organizadora da Colheita da Soja (COC Soja), Ermilo Paludo, avaliou a Abertura da Colheita como um sucesso. ?A Embrapa [Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária] participou, a UFRR [Universidade Federal de Roraima] participou, mais de 70 empresários acreditaram no nosso evento. E essa interação entre os atores é muito importante para o desenvolvimento que a sociedade apoia?, frisou.

A sensação é de dever cumprido para o anfitrião da festa, o produtor Genor Faccio. ?Eu relutei em aceitar, estava muito nervoso. Mas agora estou orgulhoso e contente. Recebi elogios, percebi que o povo gosta da atividade e de mim, senão não teria vindo aqui. O intuito desse evento é mandar notícias de Roraima para fora e, com isso, temos produtores de outros estados conhecendo a nossa realidade. Quarta-feira [dia 29] não tinha mais carro para alugar em Boa Vista. Isso é indício do interesse de produtores rurais de outros lugares em investir aqui?, comemorou.

Com o início da colheita, os produtores têm pouco tempo para colher os grãos e vende-los. ?Colhendo hoje, fica numa secadora por uns dois dias para uma breve limpeza em Boa Vista. Depois segue para o porto de Itacoatiara [no Amazonas] e de lá deve ir para a Europa?, explicou Faccio, reforçando que tem no máximo duas semanas para colher a plantação de 2.200 hectares.

E os produtores já pensam no futuro, atraindo novos investidores para que a área plantada cresça nos próximos anos. ?Temos uma capacidade para plantar até um milhão de hectares. A Embrapa desenvolveu variedades adaptadas para o nosso clima e nosso solo. O que precisamos para expandir é investimento em infraestrutura, porque competência os agricultores têm?, garantiu Paludo.

Os desafios a serem enfrentados são melhoria na infraestrutura, segurança jurídica para a transferência de terras e interligação da energia com o Sistema Interligado Nacional (SIN). ?Precisamos desenvolver para que possamos investir em uma educação de qualidade, uma saúde de qualidade e possamos gerar emprego e renda. Temos mais de 30 mil jovens nas universidades. Quem vai absorver essas pessoas? Precisamos gerar emprego no campo e estamos preparados para isso?, garantiu o presidente da COC Soja.

São atitudes e visões como essas que atraem investidores como Bartolomeu Braz Pereira, produtor rural e presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil). ?Não estou aqui só para discursar. Estou aqui para investir em Roraima. O Estado é atrativo, tem solo, sol, chuva, logística boa. Então estamos conhecendo o potencial dessa região, as áreas que podem ser exploradas, mas sempre respeitando o meio ambiente, num trabalho sustentável, que consorcia o potencial agrícola com o potencial ambiental. Tenho certeza que os produtores virão para cá porque temos potencial para crescer e chegar a um milhão de hectares de soja. Nos próximos dez anos, Roraima será a capital da soja na região Norte?, assegurou.

Programação iniciou com visita e palestras técnicas

A programação da Abertura da Colheita da Soja no Cerrado de Roraima ? Safra 2018 teve início na sexta-feira, 31 de agosto, com uma visita técnica ao campo experimental da Embrapa no Água Boa, onde foram apresentadas 113 materiais de soja com grande potencial para Roraima.

À tarde, foi realizado o workshop “Oportunidades para o Agronegócio de Roraima”, no auditório do CAF/UFRR. Foram ministradas palestras técnicas pelos pesquisadores José Carlos Vieira, da UEL/Laborsolo, Amaury Bendahan e Daniel Schurt, da Embrapa-RR. Os temas em pauta foram Integração Lavoura-Pecuária em Roraima, Calagem e Gessagem para os Solos Roraimenses e Medidas para Mitigar a Entrada de Pragas Quarentenárias na Propriedade Rural.

A Abertura Solene da Colheita da Soja, também no CAF/UFRR, foi marcada pela emoção. Além dos pronunciamentos oficiais, a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Roraima (FAERR) e a Comissão Organizadora da Colheita da Soja homenagearam o produtor Genor Faccio, anfitrião da Largada da Colheita da Soja na Fazenda Paraíso. Também durante a abertura solene foi apresentado o Diagnóstico da Cultura da Soja em Roraima pelo chefe-geral da Embrapa-RR, Otoniel Duarte, e o pesquisador Gustavo Spadotti, da Embrapa Territorial, apresentou a palestra magna “Soja – Base de Plataforma de Produção de Alimentos”.

COMUNICAÇÃO/COC SOJA

Vanessa Vieira (95) 98114-2400